EU LI: Justificação e Regeneração, de Charles Leiter

Dois grandes milagres encontram-se bem no coração e no cerne do evangelho. O primeiro é a justificação, por meio da qual criminosos são considerados justos aos olhos de um Juiz santo e reto. O segundo é a regeneração, por meio da qual pecadores malignos, escravizados e odiosos são transformados para amar a Deus e os homens.

Continue reading →

Primavera

O ano iniciou-se com uma aventura inexplicável. Foi me dito que seria o momento em que viveria uma nova estação. Que viveria a Primavera. Confesso que me empolguei, cheguei mesmo a chorar de tanta emoção. Mal sabia eu o que me esperava. Por um momento, esqueci-me completamente que ainda vivia um intenso Inverno de memórias trágicas. Mentiras, palavras malditas… que me paralisavam entre as paredes desalinhadas de gelo e medo.

Continue reading →

A esposa de João Wesley

Mary Vazeille foi apresentada a João Wesley em 1751 por um amigo incomum chamado Vicent Perronet. Vazeille era viúva, mãe de quatro filhos, possuía uma boa situação financeira, e parecia ter as qualidades que devem adornar uma esposa de pastor. O casamento foi tratado rapidamente, sendo realizado 15 dias após ser combinado. Vazeille viveu até o ano 1781, e durante aqueles trinta anos era para o marido a encarnação de uma tormenta constante. A princípio ela lhe acompanhava em suas viagens de pregação, mas o seu gênio de ficar descontente, e de contrariar a todos ao seu redor, acabou com isso. Dentro de um mês depois do casamento o tópico predileto desta notável mulher foi conversar sobre as faltas do seu grande marido.

Continue reading →

Uma carta de Susana Wesley ao seu filho

Susana Wesley foi uma mulher admirável. Seu cuidado com os seus filhos se estendeu pra além da infância deles. Conta-nos a história que João Wesley aos 22 anos de idade era um estudante de Oxford, porém ainda não tinha escolhido a sua carreira. Em uma carta aos seus pais expressou muita duvida quanto a essa questão e principalmente não desejava se consagrar ao ministério cristão. Seu pai respondeu-lhe que não devia abraçar semelhante carreira “como os filhos de Eli, para ter um pedaço de pão para comer”, mas sim, só para glorificar a Deus e ser útil aos homens. Susana por sua vez, preocupada com a vida espiritual do filho enviou-lhe uma carta que operou grande efeito na vida de Wesley nesse período. Eis a carta:

Continue reading →

Susana Wesley (1669-1742)

Susana Wesley é conhecida ainda em nossos dias por ter sido a mãe de João Wesley e Carlos Wesley, pais do Metodismo. É atribuído ao esforço direto e assíduo dessa mulher cristã o caráter de seus filhos. Com a máxima razão é dito que Susana foi a mãe, não somente dos Wesleys, como também do próprio Metodismo. Era filha de Mary White e do Dr. Annesley, um dos teólogos de maior distinção entre os puritanos. Dotada de admirável inteligência, recebeu uma educação sólida e abrangente, que incluía o conhecimento de idiomas, filosofia, teologia e muitas questões eclesiásticas.

Continue reading →

Inteligência

“Francis Crozier agora entendia que a coisa mais desejável e erótica que uma mulher podia vestir eram as muitas camadas recatadas como as que … vestia para jantar na casa do governador, seda suficiente para esconder as linhas de seu corpo, permitindo que um homem se concentrasse na excitante adorabilidade de sua inteligência.”

Do livro: Terror, de Dan Simmons. Rocco, 2017, 752p.

As Crónicas de Nárnia: O Cavalo e o Seu Rapaz

Finalmente, tenho uma crónica nas minhas mãos! Esta trata-se da terceira crónica seguida da crónica “O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa”. Aqui, Nárnia já existe e a sua fama é bem aclamada. Porém, Xassta faz parte do pequeno grupo de pessoas que nunca ouviu falar de Nárnia. Na verdade, o rapaz não sabe a sua história. Nem de onde veio e nem para onde vai.

Continue reading →