Leituras: junho e julho 2018

Como deixei uma nota num post esses dias, agora no mês de agosto e em setembro, é possível que eu escreva bem mais por aqui. Isso porque teoricamente vou dispor de um tempo a mais; teoricamente mesmo, porque a rotina continua intensa.

O que dizer dessa velocidade acelerada que o tempo parece passar, estamos mesmo em agosto? Meu Deus! Não posso deixar de me espantar, apesar de ter em mente que essa percepção humana (que começa na fase adulta) da passagem rápida do tempo seja em muito afetada pela nossa recorrente falha na gestão do mesmo, e não propriamente que o tempo ultrapasse o seu ritmo natural. Creio ser essa a causa também, aproveitando, de vivermos dizendo ter pouco tempo para ler (e alguns até enfaticamente “Não tenho tempo para ler”), quase sempre não o é de fato. Bem, vamos ao propósito desse post, nos meses de junho e julho, li na ordem:

O abutre, de Franz Kafka [conto] 5/5

Um conto curtíssimo, mas forte e incômodo, como tudo o que já li de Kafka. (leia o texto que escrevi sobre ele aqui)

Risco Escuro na Claridade, de Maiky Silva (Indepedente) 5/5

Narrativa fascinante, explora a elasticidade da sanidade humana o tempo todo. É um livro para ler tudo de uma vez só, não há como parar (emocionalmente) para respirar.

A ponte, de Franz Kafka [conto] 5/5

Mais curto que o outro e mais enigmático também. Não consegui compreendê-lo ainda, e talvez nunca consiga…

Baleia, de Graciliano Ramos [conto] 3/5

É bom, mas não sei, não consegui mergulhar naquele universo; na verdade, tenho muita dificuldade com a literatura que tenta explorar as emoções humanas a partir ou utilizando um bicho (gato, cachorro…). Não gosto da tentativa, ainda que seja como recurso literário, da humanização dos animais. A única exceção que me agrada é quando os mesmos são colocados numa narrativa integralmente fantasiosa, como em A Revolução dos Bichos, por exemplo, mas quando força-se num mundo real, no sofrimento real, lançar se mão de um bicho para comover… não dá para mim.

Feliz Aniversário, de Clarice Lispector [conto] 4/5

Primeiro contato formal com a autora, até aqui só tinha ouvido falar e assisti aquela (famosa e única em vídeo acho) entrevista disponível no YouTube. Me impressionou com certeza pela força literária, mas tenho de ler mais para saber se gosto ou não.

Tremor, de Jonathan Franzen (Companhia das Letras) 4/5

Terminei em 02 de agosto na verdade, mas é necessário que esteja aqui, mais especificamente como uma leitura do mês de julho. Em julho praticamente só li Franzen. E bem, já escrevi um texto longo sobre ele (aqui) no que não vou me repetir, posso afirmar somente que vou continuar lendo o autor e que considero as suas obras “desconfortáveis, desconcertantes, mas necessárias, muito necessárias” para um discernimento da realidade contemporânea. Como disse o Carlos Faria nos comentários, a nossa sociedade, isso é, a sociedade ocidental está doente, e por estarmos mergulhados nela fica difícil as vezes compreender algumas coisas, Franzen é um analista que ao seu modo (há quem goste e quem não) consegue capturar e revelar bem essas infecções graves, principalmente na família. Mas já me alonguei… confira o texto!

*

QUANTO À LEITURA BÍBLICAque fiz durante esses meses, estou focada nas cartas do Apóstolo Paulo. Li:

Romanos

“Podemos então nos vangloriar de ter feito algo para sermos aceitos por Deus? Não, pois nossa absorvição não vem pela obediência à lei, mas pela fé. Portanto, somos declarados justos por meio da fé, e não pela obediência à lei.” (3:27 – NVT)

1º Coríntios

“A mensagem a respeito de Cristo de fato se firmou em vocês, uma vez que nenhum dom espiritual lhes falta enquanto esperam ansiosamente pela volta de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele os manterá firmes até o fim, para que estejam livres de toda a culpa no dia de nosso Senhor Jesus Cristo.” (1:6-8 – NVT)

2º Coríntios

“Ele nos encoraja em todas as nossas aflições, para que, com o encorajamento que recebemos de Deus, possamos encorajar outros quando eles passarem por aflições. ” (1:4 – NVT)

*

QUANTO AO QUE ESTOU LENDO, vou citar só o que estou focada nesse exato momento, que é o livro do Bob Sorge, “Inveja: o inimigo interior”. Leitura interessante.. pretendo escrever minhas impressões logo que terminar.

*

MINHAS INTENÇÕES DE LEITURA SÃO:

Cave mais fundo, Joshua Harris

Inveja, de Bob Sorge

Lado a Lado, de Dave Furman

Tudo ou Nada, de Jim&Rachel Brittis

Um Coração Inabalável, de Elyse Fitzpatrick

Clara dos Anjos, de Lima Barreto

Deuses Americanos, de Neil Gaiman

A invenção de Morel, de Adolfo Bioy Casares

A Trilogia de Nova York, de Paul Auster

KELLY OLIVEIRA



Até mais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s