Filhos da Violência

Uma autoridade que abusa não nos faz ver Deus como protector. Lutamos a vida inteira com as imagens que insistem em ficar gravadas na nossa mente. Dizemos vezes sem conta, para nós mesmos, que já passou. Já não voltará a acontecer. Mas só Deus sabe o quanto lutamos com o sentimento de culpa, medo e pânico. Esses foram os sentimentos a que ficámos expostos sem saber como lidar com eles. Não estavámos preparados… não fomos criados para isso.

A culpa não é nossa, o medo não deveria fazer parte de nós e não deveríamos suportar o pânico que outros nos causaram – e que por memórias ainda causam. Desde pequenos que vimos gestos, ouvimos gritos que não deveríamos ver ou ouvir. Nós devíamos ser protegidos, cuidados. Mas a nossa voz não podia ser ouvida. Afinal, achámos sempre que a culpa daquela discussão era nossa. Que se havia gritos ou pancadaria… a culpa era nossa.

Ninguém podia saber. Seriamos catalogados como aqueles que não têm uma família perfeita, e meu Deus… como era vergonhoso só de pensar no que os outros colegas poderiam dizer. Hoje, somos adultos e ainda sofremos calados. Não somos considerados vítimas, e não gostaríamos de mencionar nada a ninguém. Depressa éramos tomados do medo, de sermos brutalmente arrancados dos braços de quem sempre levava o primeiro soco.

Sim, eram socos… não meros “tapas”, não meras “chapadas” (o que queiram chamar). Ninguém nos ouviria, porque todos viravam as costas e ignoravam aquilo que se passava dentro de casa. Então, nos mantivemos calados. Todos estes anos.

Porém, não é assim que devemos viver! Estamos numa prisão que não escolhemos. A culpa e o medo são uma prisão da qual temos que lutar para sair, pois não fomos planeados para isso. A mentira do passado não pode ser mais forte que a verdade que encontramos em Deus, que sempre se fizera presente nos momentos mais violentos. Quanto mais eu O conheço mais eu vejo o quão gentil Ele é, e que a maldade humana não fora criada por Ele.

Fomos alvos da brutalidade humana, mas somos e continuaremos a ser alvo do amor incondicional. Jesus não matou, não espancou, muito menos maltratou alguém. Pelo contrário, veio revelar quem Deus é, quem o Pai é. Isso é amor. Isso é cuidado. Isso é protecção. E, Ele é suficiente para que enfrentemos os fantasmas do passado e vivamos o amor que sempre esteve lá e que nos acompanha até hoje.

Ergue a tua voz, não tenhas vergonha! Ele sempre esteve presente. Ele está presente. Ele estará sempre presente.

“Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados ” Mateus 5:4

ANA MARGARIDA

6 comentários em “Filhos da Violência

  1. Oi, Ana!!
    O fato de você compartilhar isso é muito importante!! Só Deus sabe quantas pessoas já passaram/passam por violência familiar e não sabem a quem recorrer; muitas vezes por vergonha…. além do medo.
    É muito bonito ver como você compartilha coisas tão intensas de uma forma tão sensível.

    As partes que mais me tocaram:

    “A mentira do passado não pode ser mais forte que a verdade que encontramos em Deus, que sempre se fizera presente nos momentos mais violentos. ”

    “E, Ele é suficiente para que enfrentemos os fantasmas do passado e vivamos o amor que sempre esteve lá e que nos acompanha até hoje. ”

    Que o Senhor abençoe você e sua família!!

    Beijos!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s