Resenha livro: Rota de Fuga, a história não contada da SS de Maurício Munhoz

Meu medo é você também estar acreditando que a ditadura e a violência sejam o remédio para uma sociedade doente. Até antes de te encontrar aqui em Roma, eu sabia dos seus serviços a esse grupo político. Mas como você sabe, esse processo de dominação não passa da manipulação da miséria de um povo. No entanto, agora estou vendo, você também está fascinado por esse regime totalitário. Que Deus o faça enxergar a verdade, meu amigo, e o ilumine para escolher o lado certo.

COMO É BOM COMEÇAR A LER UM LIVRO SEM MUITAS EXPECTATIVAS. Eu me surpreendi muito com a leitura de Rota de Fuga: a história não contada da SS, do escritor brasileiro mato-grossense, Maurício Munhoz, publicado em 2015 pela editora Chiado Books.

O livro é um romance histórico da Segunda Guerra Mundial, fruto dos anos de pesquisa do autor sobre a ascensão e queda do Terceiro Reich, especialmente o mecanismo mais obscuro da sua máquina de opressão e de guerra, a Schutzstaffel, a temida SS.

Para contar sua história, que oscila entre fatos históricos, pessoas reais e a ficção, o autor nos apresenta dois personagens principais: Andreas Spinger, tenente-coronel na SS, que na trama é a mente por trás de uma grande rede de espionagem à serviço do próprio Hitler. Ernesto Artibes, um padre argentino amigo fiel de Andreas desde antes da guerra, uma alma caridosa que vai trazer alguns pontos de reflexão bem sensíveis e foi colocado com certeza para fazer contraste com a figura fria de Andreas e os outros nazistas.

A obra tem uma linguagem simples, um enredo interessante – não senti o livro chato em nenhum momento, ao contrário, instigante até o final. Nas 240 páginas dá conta de trazer muitas informações sobre antes, durante e depois da guerra, como também consegue atingir o objetivo do autor declarado em uma nota no início do livro: explicar a formação e funcionamento da SS.

Para mim o livro é uma ótima introdução ao assunto da segunda guerra. Quem dera livros como esse fossem usados nas salas de aula dos nossos adolescentes de uma maneira ao menos complementar, tenho certeza que as aulas de história seriam incríveis =) Todavia, mesmo àqueles que já leram e estudaram muito sobre o assunto, poderão se surpreender com Rota de Fuga. O autor ousadamente e utilizando todo o espaço que existe na ficção, trouxe para sua história a polêmica “teoria da conspiração” da possibilidade de Hitler não ter morrido em 30 de abril de 1945 – 😮 .

Nesse sentido, o título Rota de Fuga, se refere a possíveis planos de fuga elaborados por alguns nazistas ainda durante a segunda guerra e executados com sucesso no final da mesma, todos custeados com as riquezas roubadas covardemente dos judeus e minorias.

Como todos os livros, filmes, documentários etc., sobre guerras, essa é uma leitura difícil em alguns momentos mas necessária. Cada vez mais tenho me convencido da importância de estudar a primeira e segunda guerra, como outros eventos que marcaram a história da humanidade. Como diz o sábio: “não há nada novo debaixo do céu”.

O fato de uma população com tanta cultura conceber o florescimento de ideias racistas, baseando uma política expansionista, não pode ser explicado apenas pela força do carisma e poder do discurso eloquente de um personagem, um líder.

Para Hitler, os judeus foram usados para descrever o mal, na luta contra o ideal nazista manipulado como sendo o bem. Andreas sabia disso. Agora ele buscava entender porque o cidadão comum estava aceitando essa ideia.

Os membros da Waffen-SS, mais do que os soldados da Wehrmacht, tinham a convicção de pertencerem a uma raça superior. Além disso, acreditavam que a eliminação de outras raças não tinha um caráter desumano, era antes uma obrigação.

PS. Eu li esse livro em ebook, pela assinatura do kindle unlimited, e não posso deixar de mencionar que a diagramação do mesmo está horrível. Recomendo muito a leitura, mas para aqueles que se incomodam com isso, a versão física pode ser a melhor opção.


+Info:  ROTA DE FUGA: a história não contada da SS | Autor: Maurício Munhoz | Editora Chiado Books, 2015 | 240 páginas

Classificação: 4 | Amazon | Skoob


Me encontre aqui: Instagram | Skoob | Listography  | Twitter

4 Comments

  1. Kelly, caramba, quanta postagem nova hahaha
    Não sou um grande fã de livros sobre a Segunda Guerra, estou meio saturado, acho o período entre elas muito mais interessante, mas gostei da proposta do livro, vou colocar na minha lista sim

    Curtido por 1 pessoa

    Responder

    1. Se viu mininu 😅

      Pois, eu estou numa fase de ler muitoooo sobre a primeira e segunda guerras. Se prepare para enxurrada por aqui kkkk

      Sério, esse livro foi escrito por um brasileiro – que alegria!! – vale muito a pena.

      Curtir

      Responder

    1. Olá Carolina! Primeiramente obrigada por comentar 🙂
      Olha, esse livro é muito interessante e escrito por um brasileiro, não podemos deixar passar. Inclusive, Rota de Fuga já foi traduzido para outros idiomas.

      Quando ler, vou gostar de saber suas impressões.

      Curtido por 1 pessoa

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s