Resenha: O Assassinato e Outras Histórias de Anton Tchekhov

…cada um tem o seu lugar neste mundo.

Passei pelos contos do Tchekhov durante um curso de escrita criativa que fiz. Esperava pelo momento em que pudesse retornar a eles com mais calma, o N-Estórias foi perfeito. Encontrei essa edição dos Clássicos Abril na biblioteca pública aqui de BH Luiz Bessa.

Essa seleção são dos contos mais longos e da fase final da vida do autor russo que viveu entre 1860 e 1904; sendo além de escritor, médico e dramaturgo. A edição traz as seguintes histórias: “O Professor de Letras”, “O Assassinato”, “Os Mujiques”, “Iônitch”, “Em Serviço” e “No fundo do barranco”.

Comecei a leitura pelo segundo conto, O Assassinato, uma narrativa primorosa, certeira em levar leitor a um exame de si, à reflexão da complexa natureza humana. É um conto que choca, nele já encontramos toda a miséria e sujeira, dor e sofrimento, conflitos religiosos e de relacionamento… alguns dos temas que perpassam toda a obra do autor. Segui lendo os outros contos fora da ordem, pensando que não alcançariam seu patamar, mas estava errada. Esse é um dos poucos livros de contos que li, que gostei de todas as histórias igualmente.

Os contos, Os Mujiques e No fundo do barranco são tão descritivos da vida cotidiana desse corte da população russa de “interior” de antes da revolução que me pareceram verdadeiros documentos históricos. O que apesar disso, não são narrativas datadas, mas narrativas que conversam com muitas realidades hoje e de qualquer lugar do mundo.

A miséria é retratada em todos os contos, mas não só a miséria material, mas a miséria da alma humana como em O Professor de Letras e Iônitch, em que são apresentados personagens com alguma importância social e econômica, mas que vão se encontrar em algum momento tão miseráveis por dentro quanto os mujiques são por fora. Também a religião, retratada como hipócrita, sentimentalista, vazia e sem Deus… todos os personagens nas situações colocadas, apesar de algum contado religioso permanecem vazios, desesperançados, sem redenção. Há um eco de solidão, abandono, desamparo… em todas as histórias que me pareceu o gemido da alma do próprio autor.

Foi uma das melhores leituras do ano. Uma oportunidade de reflexão sobre vários temas impulsionados pela melancolia inevitável que faz parte da experiência de leitura desses contos. Recomendo!


+INFO:  O ASSASSINATO E OUTRAS HISTÓRIAS | Autor: Anton Tchekhov | Editora |Abril, 2010 | 256 páginas

Classificação: 5 | Skoob

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s