Posts de Ana Margarida

Caminho vida fora, num passo de cada vez, tendo esperança da vida que está por vir.

Primavera

O ano iniciou-se com uma aventura inexplicável. Foi me dito que seria o momento em que viveria uma nova estação. Que viveria a Primavera. Confesso que me empolguei, cheguei mesmo a chorar de tanta emoção. Mal sabia eu o que me esperava. Por um momento, esqueci-me completamente que ainda vivia um intenso Inverno de memórias trágicas. Mentiras, palavras malditas… que me paralisavam entre as paredes desalinhadas de gelo e medo.

Continue reading →

As Crónicas de Nárnia: O Cavalo e o Seu Rapaz

Finalmente, tenho uma crónica nas minhas mãos! Esta trata-se da terceira crónica seguida da crónica “O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa”. Aqui, Nárnia já existe e a sua fama é bem aclamada. Porém, Xassta faz parte do pequeno grupo de pessoas que nunca ouviu falar de Nárnia. Na verdade, o rapaz não sabe a sua história. Nem de onde veio e nem para onde vai.

Continue reading →

Um novo significado

Continue reading →

Filhos da Violência

Uma autoridade que abusa não nos faz ver Deus como protector. Lutamos a vida inteira com as imagens que insistem em ficar gravadas na nossa mente. Dizemos vezes sem conta, para nós mesmos, que já passou. Já não voltará a acontecer. Mas só Deus sabe o quanto lutamos com o sentimento de culpa, medo e pânico. Esses foram os sentimentos a que ficámos expostos sem saber como lidar com eles. Não estavámos preparados… não fomos criados para isso.

Continue reading →

Vivo

Não queria atravessar crises existenciais. O melhor mesmo era saber todas as técnicas para lidar com a ansiedade e o pânico. Ou, até mesmo, compreender na plenitude quem sou eu.

Continue reading →

Insegurança, hoje te abandono.

Continue reading →

Quem és tu?

Vejo uma geração um tanto quanto perdida no seu rumo e nas decisões a tomar. Para esta geração, infelizmente, o Google não vai ter resposta para tudo – muito menos para questões relacionadas ao ser individual (e ainda bem).

Continue reading →

Um dia de cada vez

Continue reading →

Escravos sem saber

Continue reading →

Que eu não me esqueça

Continue reading →