Resumo livro: Onde está Deus quando chega a dor? de Philip Yancey (cap. 2 e 3)

Qualquer um que se proponha a pensar sobre o problema da dor deve antes ter bem claro em sua mente o que é e como funciona o sistema da dor física no corpo humano. Antes de prosseguir é recomendável a leitura do post 1 desse resumo.

Continue reading →

Resumo livro: Onde está Deus quando chega a dor? de Philip Yancey (introdução + cap.1)

“Onde está Deus quando chega a dor?” foi o primeiro livro publicado pelo jornalista americano Philip Yancey, em 1977. O mesmo foi ampliado e atualizado pelo autor, ganhando uma nova edição em 1990.

O livro é dividido em 5 partes e tem por tema central o problema do sofrimento. Esse é o primeiro post de uma série, que formarão um resumo comentado da obra.

Continue reading →

Leituras de setembro e outubro 2019

Olá meus caros. Segue atualização das leituras dos últimos tempos por aqui. Escrever essa coluna sempre traz uma certa ordem ao caos que é meus interesses literários, isso é, escrevo mais para mim do que para qualquer pessoa, então vamos lá!

Continue reading →

ABANDONEI: Terror de Dan Simmons

Li até a página 271 e não recomendo

Olá! Como se percebe, hoje o post é sobre uma leitura que abandonei recentemente. Eu abandono livros por vários motivos, isso não é nada extraordinário na minha vida literária. Porém, esse por eu ter começado com a expectativa lá em cima e por ele ter conseguido ser tão chato e por mesmo assim, eu ter insistido ler até mais ou menos 36% e contando como já está claro no título, que isso significa que eu li muita coisa, pois o livro tem 752 páginas. Por isso tudo, eu decidi vim aqui comentar um pouco sobre isso – para avisar aos que pretendem encarar o livro e para me divertir mais do que tudo.

Continue reading →

Leituras de julho 2019

No mês de julho eu li o livro de Gênesis. Um mergulho, principalmente nos capítulos relacionados à Jacó.

De todos os patriarcas, em termos de história, de acontecimentos de vida, Jacó é aquele que menos nos inspira, porém sem dúvida, aquele com quem mais nos identificamos – pelo menos é assim comigo.

Continue reading →