Resenha livro: Rota de Fuga, a história não contada da SS de Maurício Munhoz

Meu medo é você também estar acreditando que a ditadura e a violência sejam o remédio para uma sociedade doente. Até antes de te encontrar aqui em Roma, eu sabia dos seus serviços a esse grupo político. Mas como você sabe, esse processo de dominação não passa da manipulação da miséria de um povo. No entanto, agora estou vendo, você também está fascinado por esse regime totalitário. Que Deus o faça enxergar a verdade, meu amigo, e o ilumine para escolher o lado certo.

Continue reading →

Não há nada novo debaixo do céu

Perón estava se esforçando ao máximo para seguir os estilos de Mussolini e Hitler em seu governo. Ele era o paladino dos operários e das classes sociais mais baixas, que lhe garantiam o apoio popular. Em contrapartida, o Estado controlava com mão de ferro o movimento sindical e a imprensa, que constantemente tinha alguns dos seus órgãos censurados ou fechados. O governo promoveu perseguições aos opositores, geralmente os colocando na cadeia ou forçando o exílio. No campo econômico, ele aplicou uma política extremamente patriota, nacionalizando as ferrovias e muitos serviços públicos. Ele usou de todos os mecanismos para o Estado intervir a favor da industrialização do país, criando o Banco Industrial, e usando da proteção tarifária para proteger as indústrias argentinas, assim como atrair novas empresas.

Do livro: Rota de Fuga: a história não contada da SS, Maurício Munhoz. Chiado Books, 2015, 240p.