Frida Vingren de Isael de Araujo #70

Frida Vingren viveu entre 1891 e 1940, era sueca, filha do casal luterano Jonas Strandberg e Kristina Margareta Sundelin. Seu nome foi inspirado na palavra nórdica frior, que significa “paz”. Desde muito nova se sentia inclinada a chamada missionária e logo que possível começou a preparar-se para tal. Ela fequentou cursos bíblicos, cursou enfermagem durante quase dois anos e meio – chegando a atuar como chefe da seção de enfermaria no Hospital Sabbatsbergs –, dedicando-se ainda à arte fotográfica.

Leia mais Frida Vingren de Isael de Araujo #70

Um Coração Ardente de John Bevere #69

Um coração ardente, publicado originalmente em 1999, é o quarto livro do John Bevere que leio. Há alguma coisa no estilo de escrita dele que me desagrada um pouco – uma insistência em descrever experiências espirituais de cultos e devocionais particulares -, mas para já estar na quarta leitura do autor é porque apesar de uma coisa ou outra, suas obras têm me edificado – e muito!

Leia mais Um Coração Ardente de John Bevere #69

A Queda de Diogo Mainardi #66

Diogo Mainardi (1962- ) é um dos jornalistas que criou em 2015 o amado e odiado site jornalístico autointitulado de direita: Antagonista. Reacionário assumido. Um mordaz crítico das esquerdas e do populismo político no Brasil e mais especificamente do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, já à época do escândalo do mensalão quando utilizou seu […]

Leia mais A Queda de Diogo Mainardi #66

Minha Vida de Anton Tchekhov #65

Minha Vida publicada em 1896, é uma das poucas narrativas longas do Tchekhov que escreveu principalmente contos. É impossível ler a obra do autor e não se interessar pela história da Rússia. Dá para sentir seu contato real com as várias camadas da sociedade da época. Suas descrições das pessoas, dos lugares, da sociedade, seu próprio […]

Leia mais Minha Vida de Anton Tchekhov #65

O Diário de Anne Frank #64

Não acredito que a guerra seja apenas obra de políticos e capitalistas. Ah, não, o homem comum é igualmente culpado; caso contrário, os povos e as nações teriam se rebelado há muito tempo! Há uma necessidade destrutiva nas pessoas, a necessidade de demonstrar fúria, de assassinar e matar. E até que toda a humanidade, sem […]

Leia mais O Diário de Anne Frank #64