Resenha livro: Simplesmente Crente de Michael Horton

Sou aterrorizado pelo tédio. Até mais do que pelo fracasso. Enfrentar mais um dia, com chamados corriqueiros para pessoas comuns à nossa volta é muito mais difícil do que correr atrás dos sonhos que projetei para a grande história da minha vida.

Continue reading →

Pare e repense

Há momentos que não tem jeito, temos que parar e repensar algumas coisas na nossa vida – ou a própria vida.

Continue reading →

Primavera

O ano iniciou-se com uma aventura inexplicável. Foi me dito que seria o momento em que viveria uma nova estação. Que viveria a Primavera. Confesso que me empolguei, cheguei mesmo a chorar de tanta emoção. Mal sabia eu o que me esperava. Por um momento, esqueci-me completamente que ainda vivia um intenso Inverno de memórias trágicas. Mentiras, palavras malditas… que me paralisavam entre as paredes desalinhadas de gelo e medo.

Continue reading →

Quando os problemas aparecem de Philip Ryken

…as estações de dúvida, desânimo e depressão são parte normal da vida em um mundo caído.

Continue reading →

Resenha livro: A história do casamento de John e Lisa Bevere

Não li muitos livros sobre casamento, mas com base nos que li, considero “A história do casamento” escrito pelo casal John e Lisa Bevere o mais completo deles.

Continue reading →

Não temas

“…não temas, nem te espantes; porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares.” (Josué 1:9)

Continue reading →

Qual a diferença entre Inveja e Cobiça?

Na igreja onde eu congrego, iniciamos o ano da EBD (Escola Bíblica Dominical) estudando sobre o pecado da inveja. Estamos utilizando como base o livro do pastor Bob Sorge “Inveja: o inimigo interior”.

Continue reading →

Insegurança, hoje te abandono.

Ok, vamos lá! Vou abandonar a insegurança que parece que me controla. Contraditório, não acham? Eu concordo. Porém, não posso abolir o factor de ser humana carregada de episódios que me levam a tal. Não estou a querer justificar-me para ter razão em ser assim, pelo contrário. Eu posso não ter o poder de mudar o meu passado, mas posso decidir o que fazer com ele. No final de contas, tudo se fez novo. Então, eu tenho que viver a novidade que me está proposta e abandonar as coisas velhas que tornam o meu fardo pesado.

Continue reading →

Quem és tu?

Vejo uma geração um tanto quanto perdida no seu rumo e nas decisões a tomar. Para esta geração, infelizmente, o Google não vai ter resposta para tudo – muito menos para questões relacionadas ao ser individual (e ainda bem).

Continue reading →